Coreia do Sul reforça preparação militar após lançamento de mísseis norte-coreanos

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

23 de junho de 2016.

O ministro da Defesa da Coreia do Sul, Han Min-koo, ordenou nesta quinta-feira (23/06) que as Forças Armadas do país aumentem sua preparação militar, um dia após o lançamento de dois mísseis de médio alcance pela Coreia do Norte.

Em uma reunião com 150 funcionários de sua pasta, Min-koo disse que os oficiais devem “responder com firmeza qualquer provocação da Coreia do Norte".

Segundo Han Min-Koo, "a Coreia do Norte acabará completamente isolada e imersa na autodestruição se continuar realizando provocações como esta".

O ministro classificou os lançamentos de mísseis como uma "clara violação das resoluções da ONU". De acordo com ele, "em caso de novas provocações haverá sanções mais fortes da Coreia do Sul e da comunidade internacional".

Após quatro tentativas fracassadas nos meses de abril e maio, a Coreia do Norte lançou nesta quarta-feira (22/06) dois mísseis Musudan de médio alcance. O primeiro deles teria explodido no ar, enquanto o segundo cobriu um alcance de 400 quilômetros e chegou a alcançar a exosfera ao ascender até uma altitude de mil quilômetros, resultado que foi considerado exitoso por analistas.

Esse tipo de míssil é visto como uma nova ameaça para a região, já que é o primeiro projétil de alcance médio norte-coreano que pode ser disparado de uma plataforma de lançamento móvel, o que dificulta sua detecção.

Seu alcance potencial (4 mil quilômetros) permite atingir bases americanas do Pacífico em Okinawa (Japão) ou Guam.

A Coreia do Norte, por sua vez, considerou o lançamento de seus novos mísseis “um sucesso”. As autoridades qualificaram as novas armas como “necessárias” para aumentar a capacidade do país de realizar "ataques nucleares preventivos".

"O lançamento de teste foi realizado com sucesso sem prejudicar a segurança dos países do entorno", afirmou o governo em uma nota divulgada na agência oficial de notícias norte-coreanaKCNA.

Segundo o texto, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, esteve presente para "dirigir o lançamento de teste do míssil balístico estratégico terra-terra Hwasong-10 [nome oficial do projétil]".

De acordo com a agência de notícias, Jong-un afirmou que o míssil é "necessário para aumentar de maneira sustentada nossa capacidade para realizar ataques nucleares preventivos e para prosseguir a pesquisa e desenvolvimento de diversas armas ofensivas estratégicas".

"Este teste constitui uma ocasião importante no que se refere a fortalecer a capacidade de ataque de nosso Estado", completou o líder norte-coreano.

O lançamento dos mísseis nesta quarta foi condenado por Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão, enquanto a China, aliada mais próxima a Pyongyang, pediu diálogo entre as partes.

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||