Coreia do Sul pronta para realizar ataque preventivo contra Coreia do Norte

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

10 de outubro de 2016.

Navios militares dos EUA, USS Bonhomme Richard (primeiro de baixo), e USS Boxer (segundo de cima),  participam de exercícios navais com grupo de pronta-resposta da Unidade Anfíbia da Coreia do Sul, em Ssang Yong, 8 de março de 2016

 

A Coreia do Sul está pronta a levar a cabo um ataque preventivo contra a Coreia do Norte caso apareçam sinais de uso iminente de armas nucleares por Pyonyang.

As respectivas informações foram prestadas na segunda-feira pelo representante oficial do Ministério da Defesa da República da Coreia, Mun San Gun.

Segundo a agência Yonhap, que cita Mun San Gun, neste caso a Coreia do Sul "poderá realizar um ataque preventivo baseando-se no direito à autodefesa".

O anúncio acontece no início das manobras navais conjuntas das Marinhas da Coreia do Sul e dos EUA, Invincible Spirit 2016, que decorrem ao longo de toda a extensão da costa sul-coreana – no mar Amarelo, mar do Japão e perto da ilha de Jeju.

Nos exercícios participa o porta-aviões americano Ronald Reagan, que se encontra na base militar em Yokosuka, no Japão. O navio é capaz levar a bordo cerca de 80 aviões e 5,4 mil homens. O Ronald Reagan estará acompanhado pelos destróiers Curtis Wilbur (DDG-54), John S. McCain (DDG-56), Fitzgerald (DDG-62), Stethem (DDG-63) и Barry (DDG-52), sendo também possível a participação do bombardeiro estratégico stealth B-2 que será deslocado a partir da base aérea americana de Andersen, na ilha de Guam no Pacífico.

Espera-se que os exercícios conjuntos sirvam de "alerta" para a Coreia do Norte.

No dia 9 de setembro, apesar da proibição por parte do Conselho de Segurança, a Coreia do Norte realizou seu quinto teste nuclear, considerado o maior na história do país, com uma potência equivalente a 10 quilotoneladas de TNT. Todos os três mísseis lançados caíram na zona econômica exclusiva do Japão, o que foi avaliado como uma ameaça direta para a segurança deste país.

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||