Coreia do Norte promete suspender testes nucleares e de mísseis

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

06 de março de 2018.

A Coreia do Norte se mostrou disposta a estabelecer um diálogo direto com os EUA e prometeu suspender os testes nucleares e de mísseis enquanto essas conversas estiverem em andamento, anunciou nesta terça-feira (6) um emissário sul-coreano após uma reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Pyongyang.

Chung Eui-yong, conselheiro para Segurança do presidente sul-coreano Moon Jae-in, afirmou que a Coreia do Norte também expressou sua disposição para a desnuclearização caso a segurança do país esteja garantida.

As declarações foram dadas durante a reunião de segunda-feira (5) entre o líder norte-coreano Kim Jong-un e uma delegação sul-coreana composta pelas autoridades mais importantes a visitar o Norte em mais de 10 anos.

A viagem foi parte da tentativa do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, de negociar uma solução diplomática para o programa nuclear da Coreia do Norte após uma reaproximação ocorrida com a participação da vizinha nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang.

Segundo a agência de notícias oficial norte-coreana KCNA, Kim Jong-un disse durante a reunião que é sua "firme vontade de avançar vigorosamente" e "escrever uma nova história da reunificação nacional".

 

Reunião de cúpula

Os dois países concordaram ainda em realizar uma reunião de cúpula no próximo mês na cidade fronteiriça de Panmunjom, a primeira do tipo em mais de uma década.

É a terceira reunião de cúpula entre os dirigentes dos dois países desde o fim da guerra da Coreia (1950-1953). As anteriores aconteceram em 2000 e em 2007.

A reunião de cúpula entre os dois países acontecerá no fim de abril na localidade de Panmunjom, na Zona Desmilitarizada (DMZ) que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul, e será precedida por uma conversa telefônica entre Kim Jong-un e Moon Jae-in.

Os dois países também concordaram com a abertura de uma linha de comunicação direta de emergência entre seus dois dirigentes, informou Chung Eui-yong.

"O Sul e o Norte estão de acordo sobre uma linha de comunicação de emergência entre os dirigentes para desativar as tensões militares e para uma coordenação estreita", afirmou o representante sul-coreano.

Reação de Trump

Em seu Twitter, o presidente Donald Trump comentou nesta terça-feira a notícia. "Possível progresso nas conversas com a Coreia do Norte. Pela primeira vez em muitos anos, um esforço sério está sendo feito por todas as partes envolvidas. O mundo está observando e esperando! Pode ser esperança falsa, mas os EUA estão prontos para se movimentar fortemente em qualquer uma das direções!"

As declarações foram dadas durante a reunião de segunda-feira (5) entre o líder norte-coreano Kim Jong-un e uma delegação sul-coreana composta pelas autoridades mais importantes a visitar o Norte em mais de 10 anos.

Os anúncios de terça-feira representam os avanços mais recentes da aproximação registrada na península da Coreia com os Jogos Olímpicos de Inverno e acontecem após um ano de grandes tensões, durante o qual a Coreia do Norte realizou seu teste nuclear de maior potência e vários lançamentos de mísseis, incluindo alguns com capacidade para atingir o território continental americano.

O clima ficou ainda mais tenso com a troca de insultos pessoais e ameaça apocalípticas entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano. O primeiro chamou o segundo de "pequeno homem foguete", enquanto Kim disse que o americano era um "velho enfermo mental".

O auge da operação de aproximação norte-coreano foi a viagem ao Sul de Kim Yo Jong, irmã do líder Kim Jong Un, no que foi a primeira visita de um membro da dinastia no poder em Pyongyang desde o fim da guerra da Coreia em 1953.

Moon deseja capitalizar os Jogos Olímpicos para abrir um diálogo entre seu vizinho do Norte e Washington, visando uma diminuição nas tensões.

Durante sua visita, Kim Yo Jong entregou a Moon, da parte de seu irmão, um convite para participar de uma cúpula em Pyongyang.

Fonte: G1

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||