Coreia do Norte celebra sua 'potência ilimitada' em congresso do partido único

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

08 de maio de 2016.

 

O primeiro congresso do partido único desde 1980 na Coreia do Norte prosseguia neste sábado após um discurso do líder Kim Jong-Un centrado na defesa de seu programa de armas atômicas, enquanto os especialistas advertem para sinais de um novo teste nuclear.

A reunião, devido ao seu caráter excepcional, é acompanhada de perto pelos observadores, que buscam sinais de uma eventual mudança de linha ou de lideranças, diante da possível ascensão de uma nova geração de comandantes eleitos com base em sua absoluta lealdade ao líder.

Em seu discurso de abertura na sexta-feira, Kim, vestido com traje ocidental, de terno e gravata, felicitou os cientistas por terem "conquistado o milagroso acontecimento de fazer retumbar o magnífico e embriagador som da primeira bomba H de nossa república", diante de milhares de delegados cuidadosamente eleitos e procedentes de toda a Coreia do Norte para participar em Pyongyang desta reunião.

O teste "mostrou claramente ao mundo inteiro nosso invencível espírito e nossa potência ilimitada (...) em resposta à malévola pressão e às sanções das forças inimigas", afirmou o dirigente a partir do imponente Palácio de 25 de abril.

O discurso, transmitido pela televisão estatal, foi frequentemente interrompido por estrondosos aplausos e, ao terminar, recebeu um longo aplauso de pé dos delegados do Partido dos Trabalhadores da Coreia (PTC).

Apesar de tudo, a maioria dos especialistas coloca em xeque que o teste de janeiro tenha sido de uma bomba H, já que a energia liberada foi muito fraca.

Nos últimos tempos se multiplicaram as especulações sobre um quinto teste nuclear norte-coreano coincidindo com o Congresso.

Imagens recentes de satélite sugerem que a Coreia do Norte avançaria em seus preparativos, e este quinto teste nuclear pode ocorrer em um "futuro próximo", segundo especialistas do Instituto americano-coreano da universidade Johns Hopkins.

"A presença de veículos não é habitual, exceto durante a preparação de um teste", afirmam em um relatório.

Caminho revolucionárioKim Jong-un, de 33 anos, não havia nascido quando foi celebrado o último congresso, em 1980, e que consagrou seu falecido pai, Kim Jong-il, como herdeiro do regime dinástico, fundado por seu avô Kim Il-sung há quase 70 anos.

Esta nova edição é um "importante marco" em "nosso caminho revolucionário", disse Kim.

Os 130 jornalistas estrangeiros convidados a cobrir o acontecimento não foram autorizados a entrar no palácio, cuja fachada estava decorada com retratos gigantes dos dois dirigentes falecidos. Os fotógrafos e cinegrafistas permaneciam a 200 metros do local.

A agenda deste congresso também não foi revelada, mas seu objetivo provável é cimentar o status de Kim Jong-Un como herdeiro legítimo.

O Congresso também deve confirmar como doutrina do partido a estratégia do "byungjin" iniciada por Kim Jong-Un, de unir o desenvolvimento econômico aos programas nuclear e balístico.

Fonte: AFP.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||