Coreia do Norte ameaça Seul e Washington com ataque nuclear

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

07 de março de 2016.

Pyongyang promete lançar um ataque nuclear "indiscriminado" contra os EUA e a Coreia do Sul após os dois países iniciarem exercícios militares. Governo norte-coreano classifica manobras anuais de "provocação".

A Coreia do Norte ameaçou executar "ataques preventivos" contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos em resposta a manobras militares anuais conjuntas que ambos os países iniciaram nesta segunda-feira (07/03).

"O Exército Popular [da Coreia do Norte] executará atos militares preventivos de neutralização, que podem incluir golpes mortíferos e impiedosos contra o inimigo", destacou a Comissão Nacional de Defesa do país em comunicado divulgado pela agência estatal de notícias KCNA.

"O ataque nuclear indiscriminado [...] mostrará claramente àqueles que anseiam por agressão e guerra o vigor militar da Coreia do Norte", diz o documento. "Se apertarmos os botões para aniquilar os inimigos agora, todas as bases de provocações serão reduzidas a um mar de chamas e cinzas em um instante."

O ministro de Defesa da Coreia do Sul, Moon Sang-gyun, por sua vez, advertiu que se o Norte lançar "provocações" em resposta ao início dos exercícios militares, Seul responderá "sem piedade". "A Coreia do Norte deve deter suas insolências, seus comentários e suas ações autodestrutivas agora mesmo", acrescentou o líder sul-coreano em entrevista coletiva.

Pyongyang e Seul se pronunciaram após o início das manobras militares conjuntas que Estados Unidos e Coreia do Sul realizam anualmente. Os exercícios deste ano ocorrem num momento de tensão na Península da Coreia, após o recente teste nuclear realizado pela Coreia do Norte em fevereiro, seguido de novas sanções impostas pela ONU em represália ao país isolado.

Os exercícios anuais Key Resolve e Foal Eagle, que se estendem até o dia 30 de abril, serão os de maior escala já executados até agora pelos dois aliados. As manobras deste ano pretendem ser uma demonstração de força e reúnem mais de 300 mil soldados sul-coreanos e 15 mil militares americanos.

A Coreia do Norte denuncia que esses exercícios são um ensaio de guerra nuclear e invasão contra o país, enquanto Seul e Washington destacam o caráter defensivo das manobras.

Fonte: DW.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||