Coalizão bombardeia instalações de armas químicas do EI

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

11 de março de 2016.

 

A coalizão internacional contra o grupo Estado Islâmico bombardeou instalações de armas químicas dos insurgentes com base em informações de um integrante do EI, capturado por forças americanas, indicou nesta quinta-feira o porta-voz do Pentágono, Peter Cook.

A coalizão "realizou múltiplos ataques aéreos que perturbaram e degradaram a capacidade do EI de produzir armas químicas", informou o porta-voz em uma coletiva de imprensa no Pentágono.

Segundo o jornal The New York Times, a coalizão atacou os arredores da cidade de Mossul, no norte do Iraque, para destruir um local de produção de armas químicas e uma unidade tática especializada em manipulá-las.

Os bem sucedidos bombardeios múltiplos resultaram de informações transmitidas por Sulayman Dawud al-Bakkar, também conhecido como Abu Dawud, informou o secretário de imprensa do Pentágono, Peter Cook, confirmando o nome de um integrante do EI apontado como especialista dos extremistas em armas químicas da organização, que proclamou um califado em territórios de Síria e Iraque.

Sua captura, em fevereiro, por forças especiais americanas - Dawud foi transferido na quinta-feira para custódia iraquiana, após ser interrogado - representa uma grande vantagem na luta contra o EI no Iraque e na Síria e Cook disse que rendeu resultados quase imediatos.

Cook descreveu Dawud como "o emir do Isil (como as autoridades americanas se referem ao EI) para a fabricação de armas químicas e tradicionais".

"Sua captura removeu um líder-chave do Isil do campo de batalha e forneceu à coalizão informações importantes sobre as capacidades de armas químicas do Isil", disse Cook.

"Através de Dawud, a coalizão aprendeu os detalhes sobre as instalações e a produção de armas químicas do Isil, assim como as pessoas envolvidas", prosseguiu.

Fontes ligadas à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) confirmaram no mês passado o emprego de gás mostarda em combates no norte do Iraque em agosto, mas não culparam diretamente o EI.

A organização também confirmou o uso de gás mostarda em 21 de agosto na cidade de Marea, na Síria.

Fonte: AFP.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||