China acusa EUA de militarizarem Mar da China Meridional

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

04 de março de 2016.

 

A China acusou nesta sexta-feira os Estados Unidos de militarizarem o Mar da China Meridional e garantiu que o envio de suas unidades e equipes militares para as ilhas que controla nessa região é uma resposta às interferências de Washington.

A porta-voz da Assembleia Nacional Popular (ANP), o Poder Legislativo do regime chinês, Fu Ying, afirmou hoje que "a maioria" dos navios e aviões militares que navegam pelas ilhas em disputa no sudeste da Ásia são americanos.

Fu também lembrou que a estratégia do atual governo de Barack Obama consiste no envio de uma parte importante da marinha americana para as águas da região da Ásia-Pacífico.

"Isto não é um movimento rumo à militarização?" da região, questionou Fu na habitual entrevista coletiva prévia ao início do plenário anual da ANP, que acontece no sábado.

A legisladora chinesa comentou que esses movimentos por parte de Washington "estão causando tensão", por isso "é preciso questionar os motivos das ações americanas".

Além disso, a legisladora afirmou que dizer que a China está militarizando a região "é enganoso", em resposta à pergunta de um meio de comunicação americano.

Nas últimas semanas, imagens de satélite divulgadas por veículos de comunicação dos EUA mostraram que a China tinha posicionado mísseis antiaéreos em uma das ilhas Paracel, um arquipélago sob controle chinês, mas cuja soberania é reivindicada por outros países do sudeste asiático.

A China também disputa com outros países da região a soberania do arquipélago Spratly, mas neste o controle das ilhas está mais distribuído.

Outras imagens por satélite divulgadas nos EUA no ano passado mostraram que Pequim construiu ilhas artificiais sobre ilhotas e atóis das ilhas Spratly, inclusive com pistas de aviação.

Os EUA não reconhecem a soberania chinesa na região, por onde algumas de suas unidades militares realizam missões periódicas no que o Pentágono chama oficialmente de "defesa da liberdade de navegação".

Nesse sentido, Fu defendeu que os movimentos militares realizados pela China nessas ilhas têm como objetivo "manter a paz e a estabilidade na região".

"Dado que estas ilhas e recifes estão muito longe da China continental, é necessário que tenham seus próprios sistemas de defesa", disse Fu, ao insistir que o posicionamento desses equipamentos de defesa "não deveriam ser considerados uma militarização" da região. 

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||