Camboja – mais um campo de 'batalha' entre EUA e China

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

22 de julho de 2016.

Um carro fúnebre carregando o corpo de Kem Ley, uma figura anti-governo e o cabeça de um grupo Khmer para Khmer, é cercado por seus partidários no caminho de um pagode para uma cerimônia budista depois que foi disparado morto em Phnom Penh. 10, julho, 2016.

No Camboja os golpistas foram desmascarados, as autoridades aproximaram tanques da capital.

Entretanto, estes acontecimentos não são tão raros como poderia parecer. Em muitos países, atores externos buscam levar ao poder regimes aliados. Assim aconteceu na Ucrânia, mais recentemente houve tentativas na Síria, na Turquia. O Camboja está no cruzamento dos interesses da China e EUA.

“Na história do Camboja houve um golpe inspirado pelos EUA. que resultou no governo do general Lol Nol, também houve um golpe feito pela China – lembramos o regime sangrento de Pol Pot, durante o qual o país se tornou de fato um protetorado chinês. Lembramos também o primeiro fracasso da cúpula na história da ASEAN quando o Camboja, influenciado pela China, frustrou a assinatura da declaração sobre o mar do Sul da China. O Camboja também se tem pronunciado ultimamente a favor da posição chinesa sobre o mar do Sul da China, criticando a postura do Vietnã”, explica o especialista político Vladimir Kolotov.

Enquanto a influência chinesa continua sendo bastante forte no país, os EUA não estão interessados no reforço de outra potência na região. Esta é a razão por que Washington reagiu tão bruscamente à situação no mar do Sul da China. 

Além disso, segundo o especialista, o reforço tanto de Pequim, como de Washington, vai resultar em maior pressão sobre o Vietnã. O país terá dificuldades em defender as suas águas territoriais enquanto houver um problema no Sudoeste Asiático. No Camboja há grupos que são a favor da separação dos territórios vietnamitas do delta do rio Mekong  e de partes significativas no Sul do Vietnã.

“Tenho a impressão que agora no Camboja ocorre não uma tentativa de golpe, mas uma tentativa de testar como as autoridades vão agir em caso de golpe para depois neutralizar os pontos fortes do regime atual e desacreditar os militares leais”, disse Vladimir Kolotov, destacando que isso afeta a estabilidade da região, estabilidade que possibilitou dar um gigantesco salto econômico.

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||