Biden diz que resposta à ataque cibernético da Rússia terá grande impacto

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

17 de outubro de 2016.

 

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou neste domingo que o governo está preparando uma resposta de "maior impacto" contra a Rússia pelos ataques cibernéticos que tiveram como objetivo influenciar nas eleições que serão realizadas no país no próximo dia 8 de novembro.

"Vamos enviar uma mensagem aos russos. Temos a capacidade de fazer isso. Ele (o presidente da Rússia, Vladimir Putin) saberá quando nossa resposta chegar", disse Biden à emissora "NBC".

O vice-presidente disse que a medida a ser tomada pelos EUA será "proporcional" ao ataque de hackers russos. Mas Biden disse que o público não deverá ser informado sobre quando a represália ocorrerá.

Na semana passada, o governo norte-americano acusou a Rússia de lançar ciberataques para influenciar nas eleições presidenciais de novembro. O Kremlin foi acusado pela Casa Branca de estar por trás do roubo de 20 mil e-mails do Comitê Nacional Democrata (DNC) que foram divulgados posteriormente pelo Wikileaks.

Na sexta-feira, a "NBC" tinha informado, citando fontes dos serviços de inteligência do país, que a CIA foi incumbida de apresentar opções para uma "operação clandestina e de amplo alcance" contra a Rússia. Ex-funcionários do governo disseram, além disso, que a agência já reuniu documentos que poderiam expor Putin.

O presidente russo, que participa da cúpula dos Brics na Índia, se pronunciou hoje sobre as ameaças de resposta dos EUA, ao afirmar que pode esperar "qualquer coisa" de Washington porque os norte-americanos "escutam e espionam todo o mundo".

"Sacrificar as relações russo-americanas no curso de eventos de política interna nos EUA é prejudicial e contraproducente", disse Putin, negando a intenção da Rússia de influenciar as eleições.

"Alguém quer o confronto, não é nossa opção. Mas isso significa que haverá problemas, algo que não queremos. Pelo contrário, gostaria de buscar pontos de contato para resolvermos os problemas de caráter global enfrentados por Rússia, EUA e o mundo", disse.

Biden afirmou hoje que não está preocupado com a possibilidade de as pessoas perderem a confiança no resultado das eleições de novembro, ao afirmar que a capacidade da Rússia de afetar fundamentalmente o pleito é menor do que a população imagina.

O episódio deteriorou ainda mais as relações entre os dois países, muito debilitada nas últimas semanas pelo fracasso dos esforços para estabelecer um cessar-fogo na Síria.

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||