Avião da EgyptAir desaparece com 66 pessoas a bordo em voo de Paris para o Cairo

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

19 de maio de 2016.

Um avião da empresa EgyptAir com 66 passageiros e tripulantes a bordo que decolou de Paris para o Cairo desapareceu dos radares sobre o mar Mediterrâneo, informou a companhia aérea egípcia, e o presidente da França, François Hollande, confirmou que a aeronave "caiu e está perdida".

O primeiro-ministro egípcio, Sherif Ismail, disse que as buscas estão em andamento pelo Airbus A320 e que ainda é muito cedo para descartar qualquer hipótese, inclusive um ataque como aquele a que se atribuiu a queda de um avião de passageiros russo sobre a península egípcia do Sinai no ano passado.

Autoridades da companhia aérea e do departamento de aviação civil do Egito disseram à Reuters acreditar que o avião caiu no Mediterrâneo entre a Grécia e Egito.

Em Atenas, o ministro da Defesa grego, Panos Kammenos, disse que o avião fez guinadas repentinas e deu um mergulho no ar antes de desaparecer.

A Grécia enviou aeronaves e uma fragata à área para ajudar com as buscas. Uma fonte do Ministério da Defesa disse que as autoridades também estão investigando o relato do capitão de um navio mercante que descreveu uma "chama no céu" cerca de 130 milhas náuticas ao sul da ilha de Cárpatos.

De acordo com o diretor da aviação civil da Grécia, os chamados de controladores de tráfego aéreo gregos ao avião pouco antes de o voo deixar o espaço aéreo grego não obtiveram resposta, e a aeronave desapareceu das telas dos radares pouco tempo depois.

No início desta tarde pelo horário local, a busca no Mediterrâneo ainda não havia descoberto nada. "Absolutamente nada foi encontrado até agora", afirmou uma autoridade de alto escalão da Guarda Costeira grega à Reuters.

Nenhum comentário oficial deu a entender que o desaparecimento se deveu a uma falha técnica ou qualquer outra razão, como sabotagem de islâmicos ultrarradicais, que já visaram aeroportos, companhias aéreas e pontos turísticos na Europa, no Egito, na Tunísia e em outros países do Oriente Médio nos últimos anos.

A aeronave levava 56 passageiros –incluindo uma criança pequena e duas crianças de colo– e 10 tripulantes, segundo a EgyptAir. Entre eles havia 30 egípcios e 15 franceses, além de cidadãos de 10 outras nacionalidades.

Indagado se pode descartar a ação de terroristas no incidente, Ismail afirmou aos repórteres: "Não podemos excluir nada a esta altura nem confirmar nada. Todas as operações de busca precisam se concluídas para que saibamos a causa".

Em Paris, Hollande também disse que a causa continua desconhecida. "Infelizmente as informações que temos... nos confirmam que o avião caiu e está perdido", disse. "Nenhuma hipótese deve ser descartada, e nenhuma pode ser cogitada mais do que as outras".

Com seus sítios arqueológicos e seus balneários no Mar Vermelho, o Egito é um destino popular entre turistas ocidentais. Mas a indústria foi duramente afetada pela queda de um avião da empresa russa Metrojet em outubro passado, que matou todas as 224 pessoas a bordo, pela insurgência islâmica e por uma série de ataques com bombas.

SEM RESPOSTAS

Os controladores de tráfego aéreo gregos conversaram com o piloto enquanto o avião sobrevoava a ilha de Ceos, o que se acredita ter sido a última transmissão da aeronave, e nenhum problema foi relatado.

Mas pouco antes de o controle ser transferido para o espaço aéreo do Cairo, chamados para o avião ficaram sem resposta, e ele desapareceu dos radares pouco depois de deixar o espaço aéreo grego, contou Kostas Litzerakis, diretor do departamento de aviação civil da Grécia, à Reuters.

"Durante o procedimento de transferência para o espaço aéreo do Cairo, cerca de sete milhas antes de a aeronave entrar no espaço aéreo do Cairo, os controladores gregos tentaram faze contato com o piloto, mas ele não estava respondendo", disse.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, iria realizar uma reunião com o conselho nacional de segurança do país na manhã desta quinta-feira, informou um comunicado de seu escritório, sem detalhar se a reunião iria tratar do avião desaparecido.

No aeroporto do Cairo, autoridades conduziam familiares dos passageiros e tripulantes a uma área de espera fechada.

A EgyptAir disse em sua conta no Twitter que o voo MS804 partiu de Paris às 23h09 no horário local e desapareceu às 02h30 a uma altitude de 11.280 metros no espaço aéreo egípcio, a cerca de 280 quilômetros da costa do Egito, onde deveria pousar às 03h15.

Em Paris, uma fonte da polícia disse que investigadores estão entrevistando funcionários que estavam de plantão no aeroporto de Roissy na noite de quarta-feira para descobrir se ouviram ou viram algo suspeito. "Estamos nos primeiros estágios aqui", disse a fonte.

O tempo estava limpo no momento em que o avião desapareceu, de acordo com a Eurocontrol, a rede de tráfego aéreo europeia.

Fonte: Reuters.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||