Armênia: 'Que fazer se estamos ameaçados de guerra'

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

16 de novembro de 2016.

 

Um quarto de sêculo sem trégua: Nagorno-Karabakh ainda não conheceu a paz. O presidente da Armênia, Serj Sargsyan, conta à Sputnik a sua visão do conflito.

O mandatário armênio concedeu uma entrevista exclusiva à Sputnik Armênia. Entre outros vários assuntos, Sargsian falou do conflito em Nagorno-Karabakh, área disputada entre Armênia e Azerbaijão.
 
"Nós não possuímos as capacidades financeiras do Azerbaijão, mas trabalhamos para equilibrar a situação por meio de um antídoto. Eu acho que os [mísseis] Iskander são este antídoto. Com certeza, a corrida armamentista não é algo desejável, mas que outra coisa se pode fazer se estamos constantemente ameaçados de guerra, de exterminação física. Estamos forçados a aplicar algumas medidas fortes", disse o presidente armênio.
 
A Armênia é o único país — além da Rússia — que tem os mísseis balísticos táticos Iskander, de fabricação russa.

Sargsyan notou também que a Armênia e a Rússia fazem parte de um acordo mútuo de manter o equilíbrio das forças na região — o que condicionou o consentimento da Rússia para fornecer os mísseis.
 
Serj Sargsyan não deixou de destacar o papel da Rússia, que, segundo ele, é o ator-chave na região, nomeadamente por ter ajudado a cessar as hostilidades em Nagorno-Karabakh mais cedo neste ano, em abril.
 
Fonte: Sputnik

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||