Com temperaturas inéditas, Europa teme “novo normal”

"...e grandes sinais do céu." Lucas 21:11

27 de junho de 2019.

 

Com temperaturas inéditas para o mês de junho, governos europeus se apressam para adotar medidas para proteger sua população contra o calor e proliferam alertas. Em todo o continente, escolas foram fechadas, obras interrompidas e até o transporte de animais passou a ser proibido.

Especialistas, porém, alertam que os fenómenos de 2019 podem ser um sinal do que será o "novo normal" continente nos próximos 20 anos. As previsões apontam que os próximos dois dias podem ser os mais quentes, com os termómetros superando os 40 graus na França e na Suíça. Alemanha, Polônia e outros países também tem sido afetados pela onda de calor.

Segundo os especialistas, a explicação é o ar quente que teria deixado o continente africano e viajado em direção aos países europeus. No Nordeste da Espanha, a previsão é de que o calor possa chegar a 45 graus na sexta-feira, enquanto incêndios já começam a ser registrados.

Na França, o fluxo de carros por cidades como Paris e Lyon passou a ser controlado, enquanto a capital francesa instalou novas fontes de água.

O governo francês ainda abriu centros com ar condicionado para receber os mais vulneráveis, enquanto os serviços de assistência de idosos passaram a ampliar a atenção.

Na imprensa, proliferam os guias e orientações sobre como se manter ao abrigo do calor. Em Toulouse, a previsão é de que esta quinta-feira registre 41 graus.

Escolas e creches foram fechadas em dezenas de cidades e provas foram adiadas, enquanto piscinas públicas passaram a ampliar seus horários de funcionamento.

O transporte de animais também foi suspenso por vários dias. Dos 96 departamentos do país, 78 deles estão em estado de alerta. Pelo menos três pessoas morreram por causas relacionadas ao calor.

Nas prisões francesas, detentos estão recebendo um tratamento especial, com jatos de água em locais abertos. Na Suíça, uma campanha foi lançada pedindo que os cidadãos alertem às autoridades caso notem que alguém esteja com dificuldades de saúde.

Em Genebra, obras foram suspensas diante do risco que o calor poderia representar aos operários. Na região de Vaud, todas as obras serão suspensas pela tarde.

Em Berna, o termómetro marcou mais de 36 graus. Na Alemanha, a cidade de Coschen marcou 38,6 graus na quarta-feira, levando as autoridades a colocar um novo limite de velocidade para carros.

Estradas deram sinais de deterioração diante do calor e, em alguns trechos, trens tiveram de ser interrompidos por conta de problemas nos trilhos.

Na Itália, a cidade de Milão deve superar a marca dos 40 graus, enquanto entidades humanitárias planejam distribuir 10 mil garrafas de água a grupos vulneráveis. A cidade de Innsbruck elevou o recorde de temperatura na Áustria, com 36,7 graus.

Já o governo da Polônia alertou que 90 pessoas foram vítimas de afogamento em junho, ao tentar fugir do calor

Fonte: UOL

voltar para Grandes sinais do céu

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||