Astrônomos encontram planeta que não pode existir

"...e grandes sinais do céu." Lucas 21:11

24 de junho de 2016.

 

Uma equipe internacional se astrônomas divulgou uma informação sobre a descoberta do novo planeta extrassolar K2-39b que, segundo todas as leis da física, não pode existir.

Ela se encontra na proximidade de uma estrela subgigante que devia se ter destruído sob pressão e influência das forças gigantes, escreve o portal científico Phys.org.

O planeta foi descoberto através do telescópio K2 Kepler da NASA.

O espectrógrafo de alta precisão do telescópio do observatório La Silva e o equipamento dos observatórios Las Campanas (Chile) e La Palma, nas Ilhas Canárias, contribuíram para determinar as características do planeta.

As medições terrestres permitiram provar a existência do planeta e determinar como ele influencia a estrela em torno da que está gravitando.

Um ano deste planeta é igual a 4,6 dias na Terra. Isto é um sinal de que o planeta fica muito perto de sua estrela, ou seja, as forças das marés devem ter uma influência destrutiva sobre ele.

Os autores afirmam que tais planetas se encontram muito raramente e o prazo da sua existência, segundo as leis cósmicas, é muito curto, apenas 150 milhões anos.

O telescópio Kepler é o primeiro aparelho da NASA que está equipado com um fonômetro bastante sensível para executar a missão de busca de planetas extrassolares análogos à Terra e que ficam fora do Sistema Solar.  

Fonte: Sputnik.

voltar para Grandes sinais do céu

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||