OMS alerta o mundo para evitar ciclo de fome e doenças na Somália

“...e haverá fomes,” Mateus 24:7

11 de maio de 2017.

 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, disse que se a atual situação de fome continuar pode criar um ciclo devastador de falta de alimentos e doenças na Somália.

A preocupação da agência é com a escassez crónica de fundos para operações essenciais de resposta à seca. O fenómeno destruiu plantações e o gado, deixando mais de 3,3 milhões de pessoas a passar fome.

Cólera

A OMS declara neste momento a saúde piora e as pessoas tornam-se vulneráveis à infeção. A seca provocou a falta de água potável e a cólera que matou 690 pessoas dos 36 mil casos diagnosticados este ano.

Com o início das chuvas espera-se que as inundações aumentem os casos para 50 mil até o final de junho.

Casos notificados

Os casos de sarampo também estão a subir e cerca de 6,5 mil foram notificados este ano. Pelo menos 71% dos pacientes registados eram crianças com menos de cinco anos.

A OMS disse que o mundo não deve assistir uma catástrofe, após a história ter demonstrado "terríveis consequências da falta de ação". Em 2011, mais de 250 mil somalis perderam a vida, metades dos quais eram menores.

Fonte: Rádio ONU

voltar para Fomes

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||