Número de pessoas à beira da fome aumenta 10 vezes em um ano na Somália

“...e haverá fomes,” Mateus 24:7

17 de janeiro de 2018.

 

As Nações Unidas anunciaram, nesta quarta-feira, que o número de somalis que estão na iminência da fome aumentou 10 vezes desde o mesmo período do ano passado.

Aorganização lançou um Plano de Resposta Humanitária na capital Mogadíscio. A prioridade é realizar ações de alívio imediato em regiões, onde a crise e a emergência estão em fases avançadas.

Emergência

A Somália precisa de US$ 1,6 mil milhões de auxílio humanitário essencial para 5,4 milhões de pessoas este ano.

Estima-se que o número de crianças malnutridas chegue a 1,2 milhões em 2018. Destas, 232 mil poderão enfrentar uma desnutrição aguda grave que pode perigar a vida.

Em cinco anos, as necessidades de segurança alimentar quase duplicaram no país do Corno de África. Cerca de 2,4 milhões de pessoas vivem em situação de crise e 866 mil em emergência.

Crises 

Durante este ano, a comunidade humanitária também quer abordar as lacunas de proteção, particularmente as que ocorrem em crises humanitárias e dar mais apoio aos mais vulneráveis como deslocados internos, mulheres e crianças.

Para as Nações Unidas, 2017 foi um dos anos mais desafiadores para a Somália porque o país africano esteve na iminência de fome após terem falhado várias estações chuvosas.

Ameaça

O coordenador Humanitário para a Somália disse que após o trabalho com autoridades somalis e com os níveis históricos de apoio da comunidade internacional foi possível evitar o estado de fome no ano passado.

Para Peter de Clercq, as soluções duradouras para fatores como seca, conflito e deslocamento continuam fora do alcance e "muito mais deve ser feito para eliminar a ameaça de fome no país".

De Clercq quer que sejam abordadas as necessidades humanitárias ao mesmo tempo em que se procuram soluções de longo prazo. O plano prevê salvar vidas e criar resiliência das comunidades para "impedir e não apenas atrasar a fome".

As Nações Unidas destacam que centenas de milhares de pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas devido à seca e ao conflito na Somália. O resultado foram níveis de deslocamento sem precedentes no ano passado.

Fonte: Rádio ONU

voltar para Fomes

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||