Profecia cumprida: últimos judeus do Iêmen fazem a Aliyah para Israel

22 de março de 2016.

 

3. Então o Senhor teu Deus te fará voltar do teu cativeiro, e se compadecerá de ti, e tornará a ajuntar-te dentre todas as nações entre as quais te espalhou o Senhor teu Deus.
4. Ainda que os teus desterrados estejam na extremidade do céu, desde ali te ajuntará o Senhor teu Deus, e te tomará dali; 
Deuteronômio 30

Em um cumprimento profético dos Fim-dos-dias, o último grupo de judeus iemenitas foi levado a Israel em uma missão de resgate secreta que literalmente arrebatou-os para fora de uma feroz zona de guerra.

A Agência Judaica para Israel anunciou no domingo à noite que o último grupo de judeus do Iêmen devastado pela guerra pousou em segurança em Israel. A chegada deles significa o cumprimento da profecia bíblica que fala de uma reunião dos exilados que pressagia a era messiânica.

O grupo incluiu dezenove pessoas, catorze dos quais oriundos da cidade de Raydah e outra família de cinco pessoas de Sanaa. Também no vôo foram a esposa e os filhos de Aharon Zindani cujos restos mortais foram levados para Israel para o enterro na Terra Santa.

Não menos importante, um Torah de 500 anos foi transportado pelo rabino da comunidade, uma parte insubstituível da sua herança.

Isso conclui as operações secretas que trouxeram aproximadamente 200 judeus iemenitas para Israel nos últimos anos, um esforço que incluiu o Ministério israelense das Relações Exteriores, e do Departamento de Estado dos EUA, entre outros.

O Presidente Executivo da Agência Judaica para Israel, Natan Sharansky, disse em um comunicado: "Este é um momento muito significativo na história de Israel e da Aliyah. Da Operação Tapete Mágico em 1949 até os dias de hoje, a Agência Judaica ajudou a trazer judeus iemenitas ao lar, em Israel. Hoje trazemos essa missão histórica ao fim. Este capítulo na história de uma das mais antigas comunidades judaicas do mundo está chegando ao fim, mas única, de 2.000 anos de idade, a contribuição dos judeus iemenitas ao povo judeu continuará no Estado de Israel."

O governo israelense trouxe milhões de pessoas em todo o mundo cujos ancestrais judeus foram convertidos à força ao catolicismo durante a Inquisição ibérica.

Antes da criação milagrosa do Estado de Israel, os judeus ameaçados em países estrangeiros teriam sido forçados a se defenderem sozinhos ou orar por intervenção divina. Desde a sua criação, Israel salvou comunidades inteiras, como fizeram com os judeus etíopes, e também judeus individuais em crise, como fizeram em Entebbe.

Hoje, as organizações estão descobrindo comunidades com raízes judaicas de todo o mundo no mais improvável dos lugares. O Bnei Menashe, por exemplo, finalmente voltou para casa em Israel depois de 2.000 anos de peregrinação em torno do canto longínquo da Índia.

Esta operação mais recente Iêmen veio em cima da hora, retornando um ramo do povo judeu para Israel antes que eles desapareceram completamente. Em outubro, aos judeus do Iêmen foram dado um ultimato: converter ou sair. Os houthis, que assumiu o controle do governo em Saana em janeiro de 2015, tem em seu logotipo, "Morte a Israel" e "Danem-se os judeus", que ilustra o perigo de que os poucos judeus restantes enfrentaram.

Os judeus têm uma longa história no Iêmen, que remonta a época que o rei Salomão mandou comerciantes e artesãos para coletar ouro e prata para a construção do Templo. Judeus iemenitas têm uma tradição única e forte, com algumas famílias, mesmo mantendo a sua identidade tribal, alegando a ascendência clara a Judá, Benjamin, Levy, e Reuven.

Judeus iemenitas no passado sempre coexistiram com os muçulmanos hostis que tomaram o poder na região, oprimindo a população não-muçulmana, com períodos intermitentes de relativa harmonia. A situação piorou com a queda do Império Otomano em 1918. Entre 1881 e 1914, 10% dos judeus iemenitas emigraram para Israel.

A maioria dos iemenitas judeus foram levados para Israel em 1949, quando o recém-nascido Estado de Israel iniciou operação em Asas de Águia, que trouxeram 49.000 dos 63.000 iemenitas judeus a Israel, em uma operação secreta que não foi tornado público até vários meses após sua bem-sucedida conclusão.

As operações de resgate para as centenas restantes de judeus no Iêmen eram consideradas impossíveis após a guerra civil eclodiu em 1962, aprisionando-os em um país muçulmano hostil aos judeus. No início dos anos de 1990, uma pequena operação conseguiu resgatar 1.200 judeus do Iêmen.

A guerra feroz contínua no Iêmen tem feito ocasionado condições humanitárias "catastróficas", conforme classificado pela Organização Mundial de Saúde. Ataques anti-semitas aumentaram em 2008, quando professor judeu Moshe Ya'ish Nahari foi assassinado em Raydah. Em 2012, Aharon Zindani foi assassinado em Sanaa e uma jovem judia foi sequestrado, forçados a se converter ao Islã, e se casar com um homem muçulmano.

A população iemenita hoje em Israel é de mais de 350.000. Aproximadamente cinquenta judeus optaram por permanecer no Iêmen, apesar das condições, incluindo aproximadamente quarenta em Sanaa, onde vivem em um composto fechada adjacente à embaixada dos Estados Unidos e beneficiam da proteção das autoridades iemenitas.

Fonte: Breaking Israel News.

Tradução: Últimos Acontecimentos.

http://www.breakingisraelnews.com/64043/wings-eagles-yemens-last-jews-arrive-israel-aliyah/#IDFuEUJDotd1Gf3z.97

Comentários

Marc Davidovich em 03/09/2018 12:41:04
Cada um de nós judeus temos nossa historia trágica.
Estou feliz por esses irmãos que vieram do Iêmen para seu lar definitivo em Israel. Israel é nossa pátria. Sou brasileiro, amo esse pais, minhas filhas nasceram aqui, mais Israel é nossa nação também.
Sou de origem judaica askenazi do leste europeu. Meus avós e minha mãe nasceram na Lituânia que era a seu tempo um lugar bom pra nós. Com as perseguições russas e nazistas tudo foi modificado.
As perseguições na Lituânia, tanto do estado como da sociedade, expulsaram meus avós (e filhos) que foram para a Polônia. No entanto a Polônia não foi nossa Canaã que por influencia nazista também praticou seus crimes contra os judeus. Perdi meus 2 avôs na Polônia e minhas avós e minha mãe com meus tios conseguiram com ajuda de judeus já radicados no Brasil fugir pra cá em 1941.


Geraldo Luigi em 26/03/2016 19:26:01
A alegria invadiu o meu ser, espero pelo o meu dia.
Baruch HaShem!
Moreira em 25/03/2016 08:16:26
O antigo testamento e olho por olho e dente por dente. Nos católicos nos básiamos ao amor ao próximo !!! Mas vejo muitos cristoes esquecidos e sendo mortos pelo ISLÃ , isso corta meu coração!!! ParAbens judeus vocês lutam com dignidade pelo seu povo!!!!
Carlos Araujo em 23/03/2016 11:16:49
Parabéns judeus... Parabéns Israel... O Senhor dos Exércitos não esqueceu Sua promessa aos patriarcas.

Enviar comentário

voltar para Artigos

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||