Início do fim da hegemonia do Dólar: FMI adiciona o Yuan chinês a cesta de moedas de elite

01 de outubro de 2016.

 

A entrada do yuan chinês a uma cesta de moedas do FMI poderia ser um passo na direção da de-dolarização da economia mundial e reforma do sistema financeiro internacional.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) adicionou a moeda chinesa, o yuan, a sua carteira de moeda, integrada até agora pelo dólar americano, euro, iene e libra esterlina, de acordo com um comunicado de imprensa publicado no site da organização. A cesta define o valor de um direito de especial de saque (SDR por sua sigla em Inglês), um ativo de reserva internacional usado para facilitar as transações entre diferentes países membros da organização.

Um marco histórico

Esta é a primeira vez que uma nova moeda é adicionada ao portfólio desde que foi lançado o euro em 1999. O FMI acrescentou o yuan, também conhecido como (literalmente "moeda do povo" em chinês) "renminbi", o mesmo dia que o governante Partido Comunista comemora a fundação da República Popular da China em 1949.

"A inclusão do renminbi é um reflexo do progresso das reformas dos sistemas monetária, cambial e financeiro da China, e é um reconhecimento do progresso na liberalização, integração e melhoria da infra-estrutura dos mercados financeiros da China" disse a diretora gerente do FMI, Christine Lagarde. Ela acrescentou que a continuação e o aprofundamento desses esforços poderia apoiar o crescimento e estabilidade da China e da economia mundial.

O FMI anunciou no ano passado que agregaria o yuan ao seu portfólio, de modo que o evento não deve afetar os mercados financeiros. No entanto, a partir de agora na política econômica e cambial da China será cada vez mais atraente, já que alguns bancos centrais adicionarão o yuan a suas reservas.

"Os chineses estão nos destruindo"

Alguns críticos acreditam que esta decisão é em grande parte simbólica e que o yuan não satisfaz plenamente os critérios a serem estabelecidos como moeda de reserva do FMI, porque não é livre e amplamente empregada nos mercados financeiros. Em 11 de agosto de 2015 a China fez a maior desvalorização do yuan em um dia desde 1994 depois de reduzir sua taxa de referência diária de 1,9%, sacudindo os mercados globais.

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, respondeu afirmando que a desvalorização do yuan seria "devastadora" para os EUA. "Estão nos destruindo [os chineses]. Eles continuam desvalorizando a sua moeda e o farão futuro. Realizarão uma queda acentuada do yuan, que vai ser devastador para nós", disse então o político e bilionário americano.

Culto fúnebre para o dólar?

O ingresso do yuan chinês a cesta de moedas do FMI poderia ser um passo rumo a uma de-dolarização da economia mundial e reforma do sistema financeiro internacional. Esta decisão "Levará o yuan até as duas primeiras posições, incluindo superando o euro e competindo diretamente com o dólar", disse Dan Collins, do 'The China Money Report", entrevistado por Max Keiser.

Resultado de imagem para fim do dolar

Ao mesmo tempo, a China continua a desenvolver os seus próprios mecanismos de cooperação financeira e de intercâmbios comerciais com o Banco Asiático de Investimento em Infra-Estrutura (BAII. Segundo observou o colunista da RT, Ariel Noyola Rodriguez, "o nascimento do BAII marca um ponto de viragem na história das instituições multilaterais de crédito, sendo um dos primeiros em que as economias emergentes são os principais acionistas."

Fonte: RT.

Tradução: Últimos Acontecimentos.

Comentários

j araujo em 18/10/2016 03:49:05
não o futuro é agora... a terceira guerra é questão de semanas,pois certamente a eleição americana será cancelada por uma lei marcial,aguarde..o fed não cederá o controle do direito de emitir a moeda de reserva mundial,assim de graça em breve em breve.
Wélermont camilo de Almeida em 02/10/2016 09:40:39
Esse é o fim da superioridade Americana. O mundo todo sofrerá as consequências disso, com o início de uma guerra cambial e de poder, que num futuro próximo será o início de uma terceira Guerra Mundial. Com isso, o Povo segue como massa de manobra para sempre...

Enviar comentário

voltar para Artigos

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||