Timna Par - Réplica do Tabernáculo

 Segredos da Arqueologia Bíblica o maior acervo sobre arqueologia bíblica do Brasil
 
Modelo Tabernáculo
No Timna Park, a 32 km ao norte de Eilat na Arabá, uma réplica em tamanho natural do tabernáculo bíblico foi construído. Embora não sejam materiais originais (por exemplo, ouro, prata, bronze) tenham sido utilizados, o modelo é preciso em todos os outros aspectos com base na descrição bíblica.
A Pia de Bronze
 
A pia de bronze e altar de bronze estavam localizados no pátio exterior. O altar era de 2,3 m quadrados e 1.37m de altura, feito de madeira de acácia revestida com bronze, e tinha um chifre em cada canto. O fogo sobre o altar era para ser mantido aceso em todos os momentos e os sacrifícios diários eram oferecidos no período da manhã e da tarde.
O Lugar Santo
 
Esta área sagrada era ocupada pelo candelabro de ouro, incenso altar e mesa de pão. O candelabro (menorah) foi batido e formado a partir de um único bloco de ouro e tinha três ramos saindo de cada lado do eixo central. As sete lâmpadas em cima dos ramos formavam pires redondos com aros pinçados que retinham o óleo e o pavio.
 
A Mesa de pão
 
Em frente ao menorah estava a mesa de pão. Construída de madeira de acácia e revestida com ouro maciço, a mesa tinha uma superfície de 0,45 m X 0.91m aproximadamente.
 
Doze pães eram colocados em cima da mesa no Shabat e eram substituídos por pão fresco no Shabat seguinte. A alta linhagem sacerdotal comeria o pão substituído.
O Altar do Incenso
 
Também conhecido como o "altar de ouro" ou o "altar interior", este de três metros de altura situava-se no local de oferendas de incenso regulares. Todas as manhãs e à noite, os sacerdotes entravam na tenda e cuidavam da luz do menorah, os sacerdotes ofereciam uma mistura de incenso e outras ervas aromáticas. No Dia da Expiação, o sumo-sacerdote aspergia o sangue nos chifres deste altar.
Arca da Aliança
 
O único objeto no Santo dos Santos, a arca sagrada continha as duas tábuas com os Dez Mandamentos, a vara de Arão que floresceu e o pote do maná. A arca era coberta pelo
"propiciatório", no qual o sumo-sacerdote aspergia o sangue do bode sete vezes no Dia da Expiação. A arca representava o estrado do trono de Deus.
 
 

Enviar comentário

voltar para Arqueologia Bíblica

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||