Arqueologia subaquática no Mar Negro

Projeto vem sendo desenvolvido no mar Negro há quase três anos

Realizando "um dos maiores projetos arqueológicos marítimos na história" no fundo do mar Negro, que levou quase três anos, os investigadores encontraram 60 barcos antigos bem conservados. De acordo com o anúncio dos membros do Projeto de Arqueologia Marítima do mar Negro, se trata de barcos romanos, bizantinos e otomanos, entre os quais há um que tem quase 2.500 anos.
"Acredito que realizamos um dos descobrimentos mais importantes da arqueologia subaquática mundial. O que temos é um barco antigo que se conservou quase por completo, com muitos elementos que até agora são totalmente desconhecidos para a ciência", cita o canal de TV da Bulgária as palavras de Dragomir Grbov do Centro de Arqueologia Subaquática (Sozopol, Bulgária).
"Este conjunto deve formar um dos melhores museus submarinos do mundo dos barcos e da navegação marítima", assegurou Jon Adams, professor da Universidade de Southampton (Reino Unido), que dirigiu a expedição. A conservação em quase todos os casos é excepcional devido à total falta de oxigênio em grande profundidade.
 
Em 2015, os arqueólogos subaquáticos do Projeto de Arqueologia Marítima do mar Negro iniciaram um projeto para estudar o fundo desse mar visando obter informações sobre a subida das águas depois da última glaciação. Desde essa altura, os investigadores realizaram três estudos de campo que concluíram em setembro deste ano. Com informações da Sputnik News.

 

Enviar comentário

voltar para Arqueologia Bíblica

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||