10 maiores descobertas da arqueologia bíblica em 2017

10 maiores descobertas da arqueologia bíblica em 2017

 
A arqueologia bíblica deu largos passos neste ano, demonstrando que muitos dos relatos bíblicos são verdadeiramente históricos. O que parecia tão distante no passado, a ciência e a fé, agora estão cada vez mais próximos. Veja a seguir a mais incríveis descobertas da arqueologia bíblica neste ano de 2017. Nossa esperança é que em 2018 muito mais descobertas impressionantes possam ser feitas, e com certeza continuaram confirmando o relato bíblico.
 
1 - Dezenas de selos do período bíblico foram descobertos em Jerusalém - Arqueologia Bíblica
 
Descobertas do período bíblico - Quem foi Ahyiav, filho de Menachem? Uma coleção de dezenas de selos indicando os nomes dos funcionários e datando dos dias do Reino de Judá antes da destruição promovida por Nabucodonosor II, rei da Babilônia, foram descobertas. As descobertas foram feitas em escavações realizadas nos últimos meses pela Autoridade de Antiguidades no Parque Nacional da Cidade de Davi em Jerusalém. A arqueologia bíblica está desenterrando verdadeiramente os nomes de diversos personagens da narrativa bíblica.
 
 
Os selos (bulas, dos quais a palavra "selo postal" é derivado) são pequenos pedaços de argila usados ​​nos tempos antigos para documentos. Quando uma carta chegava ao seu destino com o selo partido, isto indicava que a carta tinha sido aberta antes de chegar ao seu destino.
 
Embora as cartas não tenham sobrevivido ao grande incêndio que ocorreu em Jerusalém com a sua destruição. Os selos feitos de cerâmica tipo argila - foram preservados graças ao fogo, deixando testemunho sobre a existência das cartas e até mesmo as pessoas por trás delas.
 
2 - Descoberta fábrica de utensílios de pedra não muito distante de Caná da Galileia - Arqueologia Bíblica
 
Mais uma descoberta emocionante da arqueologia bíblica, os arqueólogos descobriram junto a aldeia de Reine na Galiléia, uma pedreira onde eram fabricados vasos, copos e outros instrumentos de pedra. A descoberta lança luz aos utensílios utilizados na época de Jesus e os apóstolos.
 
Segundo a tradição judaica antiga, somente instrumentos e utensílios de pedra não se contaminavam com maldições e impurezas, portanto eram os preferidos pelos judeus durante o primeiro século da era cristã.
 
É bem provável, que os copos que Jesus e os discípulos utilizavam, fossem feitos de pedra exatamente como os que foram fabricados neste local.
 
 
Esta descoberta incrível lança luz sobre como eram fabricados estes utensílios impressionantes, que podem ser vistos em museus de arqueologia em todo Mundo.
 
Esta é a quarta oficina desse tipo descoberta no país. Outra oficina está atualmente a um quilômetro da oficina atual. Dois outras oficinas adicionais conhecidas como do período do Segundo Templo foram descobertos longe daqui - na região de Jerusalém, há décadas atrás.
 
3 - Descoberta fábrica de lâmpadas da antiguidade - Arqueologia Bíblica
 
Na área da construção foram encontrados mais de 600 fragmentos de lâmpadas de cerâmica, incluindo principalmente as lâmpadas domésticas do tipo Beit Natif, que datam do terceiro quarto século da EC. O tipo mais comum de estrutura de corpo de lâmpada caracterizada por uma forma oval ou em forma de pêra. A maioria das lâmpadas são pintadas de vermelho ou marrom, mas alguns ficaram sem pintura. Elas também foram descobertas no chão de uma sala na parte sul do edifício, em um conjunto de 15 moldes de lâmpadas feitos de calcário que eram utilizados para a fabricação das lâmpadas. Os modelos, juntamente com inúmeras peças de lâmpadas na parte sul do edifício indicam que o mesmo foi utilizado como uma oficina de lâmpadas.
Lâmpadas de azeite
 
4 - Estudo científico revela veracidade de relato bíblico, cananeus imigraram para o Líbano
 
Em um estudo mais recente de todo o genoma de vestígios antigos do Oriente Próximo, os cientistas do Wellcome Trust Sanger Institute e seus colaboradores sequenciaram os genomas inteiros de indivíduos cananeus de 4.000 anos de idade que habitavam a região durante a Idade do Bronze e os compararam a outras populações antigas e atuais. Os resultados, publicados hoje neste 27 de Julhos de 2017 no American Journal of Human Genetics sugerem que os libaneses atuais são descendentes diretos dos cananeus antigos.
 
O Oriente Próximo é muitas vezes descrito como o berço da civilização. Os cananeus da Era do Bronze, mais tarde conhecidos como fenícios, introduziram muitos aspectos da sociedade que conhecemos hoje - eles criaram o primeiro alfabeto, estabeleceram colônias em todo o Mediterrâneo e foram mencionados várias vezes na Bíblia.
 
Ruínas dos cananeus
 
No entanto, os registros históricos fora da Bíblia dos cananeus são limitados. Eles foram mencionados em textos gregos e egípcios antigos, e a Bíblia que relata a destruição generalizada dos assentamentos cananeus e a aniquilação das comunidades na Terra de Canaã. Especialistas há muito discutiram quem eram os cananeus geneticamente, o que aconteceu com eles, quem eram seus antepassados ​​e se eles tinham algum descendente hoje.
No primeiro estudo de seu tipo, os cientistas descobriram que a genética do povo cananeu tem um vínculo firme com as pessoas que vivem no Líbano nos dias hoje.
 
 
5 - Descoberta de Betsaida - Arqueologia Bíblica
 
Beitsaida
 
Arqueólogos podem ter encontrado a cidade natal de André, Pedro e Felipe - Durante décadas os pesquisadores apontavam para as ruínas de Tel Betsaida como é chamada nos dias de hoje a cidade de Geshur, como sendo a Betsaida descrita no Novo Testamento, cidade natal de André, Pedro e Felipe, mas as descobertas realizadas neste verão poderão mudar finalmente este conceito.
Foto acima: Amit Arari - Amud Anan
 
A cidade até agora considera como Betsaida pela arqueologia bíblica era comprovadamente a cidade pagã de Gesur, um rei que foi sobro de Davi. O reino de Gesur por sua vez, por causa do casamento de Davi com sua filha, foi um dos primeiros a aderirem ao grande reino unido de Davi e Salomão.
 
6 - Descobertas Provas da Destruição de Jerusalém Pelos Babilônicos em Escavações na Cidade de Davi
 
Mais um milagre da arqueologia bíblica em Jerusalém. Foram descobertos indícios da Destruição de Jerusalém pelos babilônicos- Arqueólogos descobriram provas físicas da destruição de Jerusalém pelos babilônios nestes dias na cidade de Davi. As escavações estão sendo realizadas no Parque Nacional da Cidade de Davi para Autoridade de Antiguidades de Israel em torno das muralhas de Jerusalém, com o financiamento da Cidade de David Foundation (Elad).
 
Destruição de Jerusalém
 
As escavações estão centradas na encosta oriental da cidade de Davi, os arqueólogos estão desenterrando estruturas residenciais de 2.500 anos que foram soterradas em um colapso pedra. Entre os blocos do colapso revelou-se muitos indícios: madeira queimada - prova da destruição, sementes de uva, cerâmica, escamas de peixe, espinhas de peixe e artefatos raros, indícios que apontam para a riqueza e o especial caráter de Jerusalém como a do capital do reino de Judá, e representa o fim mais trágico da cidade e a sua destruição pelos babilônios.
 
7 - Descobertos tecidos de oficiais de Davi e Salomão nas minas de Timna
 
Nossa equipe teve o privilégio de publicar as descobertas incríveis dos arqueólogos de que as Minas de Timna na realidade datam do período de Davi e Salomão conforme está claramente descrito nas Escrituras Sagradas e agora temos o privilégio de divulgar que os tecidos dos oficiais hebreus que trabalhavam ali eram tingidos e listrados conforme pode-se ver no video a seguir.
 
Mais um milagre da arqueologia bíblica na Terra Santa está confirmando o texto bíblico.
 
 
As colorações mais identificadas foram o azul celeste e o vermelho, duas colorações típicas descritas na Bíblia até mesmo na confecção do tabernáculo no deserto durante o Êxodo. Após 3000 anos enterrados nas minas de Timna, parte dos tecidos ainda conservam os pigmentos e colorações, o que está permitindo aos pesquisadores identificarem o tipoias de técnica utilizada então, muito avançada para a época e que só foi relatada em outras culturas muitos séculos mais tarde.
 
8 - Descoberta Estrada Romana de 2000 anos perto de Beit Shemesh
 
Descoberta de estrada romana - Mais uma daquelas descobertas arqueológicas incríveis estão ocorrendo na Terra Santa, hoje a Autoridade de Antiguidades de Israel fez uma declaração a imprensa que após escavações de resgate iniciarem junto a cidade de Beit Shemesh, os arqueólogos encontraram nada menos que o caminho romano para a cidade durante o primeiro século, ou seja, contemporâneo a Jesus.
 
Mais uma vez, tudo começou por causa de um novo projetode abastecimento de água alternativo e a estrada romana foi encontrada junto ao que hoje é conhecido como o "caminho de Israel" um caminho que é utilizado por israelenses e turistas para conhecer o país de norte a sul.
Estrada Romana
 
Estrada romana desenterrada
 
A estrada romano é ampla e impressionante têm 2.000 anos de idade e está excepcionalmente preservada, foi descoberta neste mês de fevereiro passado em escavações arqueológicas da Autoridade de Antiguidades de Israel, juntamente com o ulpan "Amit Venus" de Beit Shemesh, perto da auto-estrada 375. A escavação foi realizada no âmbito do que estabelece empresa de águas de Beit Shemesh.
 
9 - Palácio de Ramsés II, o faraó do Êxodo foi descoberto no Egito
 
Mais uma vez a historicidade bíblica poderá ser confirmada em breve pela arqueologia bíblica. O palácio de Ramsés II foi descoberto no Egito, segundo a maioria dos pesquisadores bíblicos ele foi o faraó no tempo da saída do Povo de Israel do Egito.
 
Um busto de Ramsés II que está exposto no Museu Britânico em Londres.
 
Ramsés II
 
A Agência de Antiguidades egípcias anunciou aos meios de comunicação que uma equipe de arqueólogos encontrou um templo ritual ao lado do Cairo pertencente a Ramsés II, identificado pela maioria dos estudiosos como Faraó da Bíblia. A ruínas do templo que foram encontradas ao sudoeste do Cairo. Uma pesquisa profunda nas ruínas do palácio de Ramsés poderão revelar através da arqueologia bíblica a veracidade dos relatos bíblicos.
 
10 - Descoberta urna de cananeu do tempo de Abraão na região de Jerusalém
Túmulo de cananeu
 
Mais uma descoberta muito interessante da arqueologia bíblica na Cidade Santa, no sul de Jerusalém foi feita a descoberta de sepulcro do tempo de Abraão em Jerusalém.
 
As escavações que estão sendo feitas pela Autoridade de Antiguidades de Israel estão revelando os hábitos de sepultamento dos cananeus a cerca de 4000 anos atrás, por volta do período que viveu na região o Patriarca Abraão. As escavações estão sendo feitas na região do Jardim Zoológico Bíblico de Jerusalém, no sul da Capital de Israel.
Rãs Decapitadas no Túmulo
 
No túmulo que foi descoberto esta semana em Jerusalém, além de diversos artefatos . Além disso, Dra. Dafna Langgut descobriu após análises que os instrumentos foram expostos a vegetação de tâmaras e mirto. Essa descoberta revela algo inteiramente novo, pois estes não são típicos na região montanhosa. Ainda foram encontrados ossadas de rãs que foram decapitadas e enterradas dentro de uma ânfora, um vaso antigo.
 
Veja mais em : Segredos da Arqueologia Bíblica o maior acervo sobre arqueologia bíblica do Brasil
http://segredosdaarqueologiabiblica.blogspot.com.br/

Enviar comentário

voltar para Arqueologia Bíblica

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||